Revista Super Varejo | Soluções que otimizam tarefas corriqueiras

Impactar o cliente no ponto de venda é uma ação inerente do setor de supermercadista, que conhece muito bem as alternativas de chamar a atenção do público no momento da compra dentro da loja. Cartazes e locução são ferramentas que dispensam apresentação, mas que hoje têm a tecnologia como aliada para torná-las ainda mais dinâmicas e assertivas, conquistando ainda mais o shopper no ato da compra.

É o que faz a RDS Multimídia, que atua com soluções de mídia indoor e mostrou que o supermercado pode otimizar a comunicação dentro da loja e destinar mais tempo para a tomada de decisões estratégicas. “A mídia indoor trabalha rapidamente no impacto das decisões de compra dos clientes e consequente aumento de vendas”, explicou o diretor executivo da empresa, Celso Wey.

Segundo o diretor executivo, hoje é possível realizar a integração das mídias como rádio e TV no PDV,  o que leva a uma taxa de conversão de 35% nas vendas. Entre os recursos de TV na loja, Wey explicou que os monitores podem funcionar como ferramenta de troca entre o varejo e a indústria, com os vídeos contando com patrocinadores divulgando determinado produto na loja em pontos estratégicos de grande fluxo.

“A TV opera em plataforma on-line a qual a própria loja insere informações a cada momento que houver necessidade”, explicou Wey. Ele acrescentou que o supermercado pode também levar os monitores de TV para diversas seções da loja, como o açougue, por exemplo, para serem utilizados como tabela digital de preços, o que gera economia de tempo, de mão de obra e de material.

Assim como a TV, a tecnologia trouxe avanços à rádio interna dos supermercados, como contou à reportagem da SuperVarejo o CEO da RDS Multimídia, André Ranschburg. “O Rádio no supermercado é uma ferramenta que gera mais credibilidade à loja, ao mesmo tempo em que confere conforto ao visitante por meio da ambientação musical. O impacto positivo vem com o aumento das vendas, além da redução das despesas à medida que os locutores são dispensados”, pontuou.

Ranschburg explicou que isso é possível porque ao utilizar o recurso, os supermercados contam com os áudios já gravados, feitos por profissionais de locução, o que  anula a importância de um profissional na loja para comentar as ofertas. “Esse tipo de trabalho pode ser realizado  nas lojas por meio da internet como também via satélite em regiões onde a qualidade da internet é instável, disse o CEO

Revista: Super Varejo
ANO XVI Número 186
Edição NOVEMBRO 2016

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *